quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

1000 para a conta numa só atividade


Radicado em Muriaé desde 2002,  atleta amador, apaixonado por bicicleta, Paulo Savoia cumpre seu maior desafio pessoal numa prova internacional de 1000 km de percurso.

Na primeira vez que foi realizado um Audax Internacional no Brasil, o ciclista muriaense Paulo Savoia participou e concluiu seu desafio pessoal de pedalar por pouco mais de 1.000 km em uma única atividade, como é proposto aos desafiantes da modalidade Randonneur.
Com origem na França, o estilo randonneur é uma modalidade de ciclismo de regularidade. Muito conhecido no Brasil como Audax, são provas de longa distância em que o atleta tem um tempo limite para completar determinada quilometragem. Não há competição, o mais rápido e o mais lento que completam dentro do limite recebem a mesma `premiação`que é pedalar a etapa seguinte, com quilometragem maior. Começam com 200 km, seguem para 300 km, depois para 400 km e se tornam um Super Randonneur ao completarem a prova de 600 km.


O frio, o cansaço e as estradas solitárias assustavam, mas a vontade de completar o desafio foi muito maior.

Para Paulo Savoia a vontade de aumentar o desafio foi maior. Conheceu a modalidade em 2016 quando foi dar apoio a um amigo que estava participando do Audax 200 que estava sendo realizado em Itaperuna, percebeu que era um estilo de prova que lhe agradava. Decidiu se preparar para a temporada de 2017. Participou de cada etapa e como num susto, sentiu-se preparado para participar da prova de 1.000 km.

Em alguns pontos específicos os participantes deveriam comprovar sua passagem pelo local através de uma foto tirada com a sua bicicleta devidamente numerada, que foi conferido pela organização. Eram chamados de PCV's ou Pontos de Controle Virtual.

A prova partiu da cidade de Bagé, RS, onde deveriam ir até a cidade Maldonado, Punta del Este, no Uruguai. Os pouco mais de 1.000 km possuíam uma altimetria de 9.000 m de elevação acumulada, que representa subir do mar até o Pico da Bandeira quase 4 vezes.
Paulo Savoia completou sua prova com 53 horas de pedaladas, algumas paradas para alimentação e descanso, totalizando mais de 73 horas de prova; saindo no dia 11 de novembro às 13 h e chegando no dia 14, às 15 horas.


Temperaturas que variaram do frio intenso ao calor que também bateu forte, principalmente na chegada, após ultrapassar a barreira dos 1000 km rodados.

O feito foi comemorado pelos grupos dos quais faz parte, rendendo a confecção de um uniforme exclusivo, como também um troféu comemorativo, independente da organização da prova.
Esse desafio envolveu uma série de planejamentos e testes que Savoia cumpriu à risca, desde o preparo físico e mental, sobre seu equipamento, também o planejamento da viagem. A alimentação foi uma grande preocupação, já que consideramos o combustível do ser humano. Foram 12 meses de preparação nutricional. Seu irmão, Rafael Savoia, nutricionista conhecido no meio ciclístico por acompanhar a alimentação e suplementação de diversos atletas, foi seu preparador e quem montou todo o roteiro de ganho de peso controlado para enfrentar a prova, além do controle de suplementação aplicado no dia do desafio, bem como a recuperação.
Diante de várias experiências que viveu, tanto no Brasil como no exterior, ele afirma que foi, até agora, o maior feito ciclístico da sua vida. Está preparado para outros desafios do ciclismo, bem como para a vida, pois a bicicleta traz ensinamentos constantes que se aplicam em todas as esferas do ser humano que pratica.





Atividade no Strava:
https://www.strava.com/activities/1275091291

Passaporte ou brevet, usado para o controle da prova:

Troféu e uniforme exclusivos, dedicado pelo grupo Guerreiros das Montanhas:




Este canal de notícias do ciclismo regional parabeniza o feito de Paulo Savoia, assim como de todos os participantes que concluíram essa prova.

___________
Texto: Eduardo Almeida

Fotos: Arquivo pessoal de Paulo Savoia