quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

A bicicleta cada vez mais presente nas políticas públicas de turismo regional

Marco Antonio, gestor, deu todas as diretrizes para os representantes dos municípios consorciados, para a eleição da presidência.

A ABRIGA é a instituição que cuida do Circuito Turístico Serra do Brigadeiro, abrangendo 12 municípios em seu raio de ação, promoveu no dia 22 de fevereiro a eleição da diretoria para complementar o tempo de gestão, de forma a sincronizar com os períodos eleitorais federais, estaduais e municipais. A instituição ficou sem parte da diretoria e do conselho administrativo em janeiro, após as trocas de cargos devido às eleições municipais.
Com a publicação e efetivação da nova diretoria, a ABRIGA retoma o rumo de projetos importantes para o desenvolvimento do turismo regional, focada no turismo de aventura e turismo rural. Dentre casos de sucesso, destaca-se o Turismo de Base Comunitária, evidenciado na proximidade de Bom Jesus do Madeira, onde diversos sítios foram transformados em pousadas e são administrados e operados pelos familiares. Nessa localidade, os hóspedes buscam a visitação de cachoeiras, a prática do camping em família, caminhadas aos picos de diversas montanhas da Serra do Brigadeiro, rapel e visitas a fazendas e sítios.
Um dos projetos que tem sido movimentado pela instituição é a Volta do Brigadeiro, dentro do Projeto Rota Parque Brigadeiro, que consiste na marcação de um trajeto ao redor do Parque Estadual Serra do Brigadeiro – PESB, com 220km de perímetro, abrangendo também áreas de outros circuitos turísticos. Nessa volta ao redor do PESB, os participantes terão um banco de dados disponível em site, com mapa pra download eletrônico e uso online, com informações de pousadas, locais de alimentação como bares e restaurantes, postos, oficinas e demais elementos necessários ao sucesso do cumprimento da rota. A Volta do Brigadeiro poderá ser executada à pé, a cavalo, com veículos 4x4, quadriciclo e bicicleta tipo “mountain bike”. Para bicicletas, pode ser executada em 3 dias, podendo ser estendido até para 5 dias, aproveitando melhor os pontos turísticos. Para carros 4x4, a volta pode ser realizada em 2 dias com bom aproveitamento dos pontos turísticos.


Cachoeira do Piu, próximo ao distrito de Bom Jesus do Madeira, é um atrativo natural já mapeado e disponível para os ciclistas que executam a Volta do Brigadeiro.

Antes das eleições da diretoria da instituição, o gestor Marco Antonio Barros comentou com os presentes, representantes das prefeituras de Muriaé, Ervália, Divino, Pedra Bonita, Patrocínio do Muriaé e Antônio Prado de Minas, que será iniciado em breve um estudo para análise de um circuito de “mountain bike” pela estrada de ferro Leopoldina Railway, abrangendo os municípios que não estão conectados à Serra do Brigadeiro. O circuito faria a valorização das estações ferroviárias, igrejas e fazendas conectadas à economia da época em que os trens eram o meio de transporte principal.


O projeto Bike nos Trilhos foi realizado em 2013 saindo de Recreio, percorrendo leitos de estradas de ferro até Muriaé. A proposta da instituição é semelhante, porém abrange municípios conveniados. Grupos de ciclistas serão contactados para a montagem do projeto.

A direção da instituição estará a cargo de Elise Ferreira, que atualmente é turismóloga da Fundarte de Muriaé. Pela frente, já encara o desafio da montagem de uma rede de compras e benefícios para pousadas, hotelaria, operadores e demais empresas conectadas direta ou indiretamente ao turismo regional.
Com a reinicialização das atividades, a proposta da instituição para os ciclistas é o convite para a montagem de grupos para a discussão das rotas, aptidões, identidade dos roteiros e também o levantamento dos pontos de interesse e roteamento. A participação dos ciclistas será fundamental para a qualidade dos projetos que envolve a categoria. A instituição fará apoio político e de dados para os eventos ciclísticos das cidades que abrange.


___________________
Texto: Eduardo Almeida