segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Na terra da bauxita, ciclistas pedalam em circuito com muitas trilhas e clima europeu

São Sebastião da Vargem Alegre recebeu mais de 100 ciclistas em evento que ofertou um trajeto elogiado e uma agradável recepção.





A cidade de São Sebastião da Vargem Alegre está localizada na parte sul do complexo da Serra do Brigadeiro, a 720 m de altitude, sua principal atividade econômica era ligada ao café e leite. Com a chegada da mineração da bauxita, a força de trabalho se adequou à realidade e à necessidade da nova atividade que passou a impulsionar a economia local.
Nesse complexo de alterações de atividades, onde vemos campos com matas preservadas, as fazendas de lavra de minério intercaladas, bem como áreas já restauradas pelas atividades de recuperação pós-mineração, no dia 6 de novembro, domingo, aconteceu pela segunda vez o passeio ciclístico da cidade. O trajeto escolhido pela organização explorou fielmente essas nuances que marcam a história do município, do desbravamento ao cenário atual.
Após o sinal de largada, os mais de 100 ciclistas percorreram as principais ruas da cidade e em apenas 2 km percorridos já adentraram na primeira trilha, subindo por uma mata recomposta e descendo por um cafezal. No decorrer da pedalada, os ciclistas passaram por estradas de chão em direção à localidade de Santo Antônio do Rio Preto, passando por algumas cachoeiras e também por estradinhas dessas de acesso às fazendas onde só trafega um veículo por vez.

Ciclistas adentram em trilhas já no fim de uma rua, em mata ao lado da cidade.

O cenário alterava o contexto de acordo com a localidade, passando por diversos pontos próximos de áreas de lavra de minério, outras vezes entrava em trilhas de eucaliptos ou de mata recomposta. “Estou impressionado com o trajeto, muito bom mesmo! Pra quem curte o mountain bike de verdade ficou perfeito”, comentou o ciclista João Amaral, de Muriaé.
Para agradar ainda mais os ciclistas que participaram do evento, a chuva fina do dia anterior apagou por completo a poeira e ainda deixou o terreno mais firme, aumentando a aderência.
O clima foi outro fator muito lembrado pelos participantes que aproveitaram os 15º de temperatura para iniciar a pedalada e terminaram com pouco mais de 26º. As terras altas com as temperaturas mais brandas são as mais procuradas pelos ciclistas que curtem o mountain bike. Como o próprio nome diz, são os ciclistas de montanhas.

Estradinhas que mais pareciam trilhas mantinham a característica básica do esporte bem destacada.

A trilha sonora da pedalada, meio a terrenos acidentados típicos da região, ficou por conta das seriemas, dos “quero-queros”, das diversas aves e sons de cachoeiras, ritmando os ciclistas até o fim do desafio de 50 km do trajeto Elite.
Na chegada, os ciclistas foram recebidos com sorteio de brindes e um farto almoço para recompor as energias. As crianças brincaram com pula-pula enquanto os visitantes conferiam as novidades do esporte nas 3 lojas que montaram estande no local.
O evento contou com o apoio da Prefeitura, da Polícia Militar, da Secretaria de Saúde, da Helios, Pedallar,  Lacerda Bike Shop, SPJ Móveis Planejados, Emerson Cafés Especiais, de diversos comerciantes locais e regionais. A organização foi do grupo Caça Pedal, composto por ciclistas da cidade.


Ciclistas passaram próximo de áreas de lavra de bauxita.


Ao fundo é possível ver a unidade de mineração enquanto participante desce pelas estradas de terra.

__
Texto e fotos: Eduardo Almeida

Um comentário:

  1. Matéria muito bem escrita, com detalhamento real do local. Realmente é um lugar com clima muito aprazível e gente muito boa. As trilhas são intermináveis e sempre com o sabor,as vezes literalmente, de barro vermelho amaciado pela garoa ou em pó devido à estiagem longa.

    ResponderExcluir