quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Evento ciclístico realizado em Ubá está entre os maiores do Brasil

“Monstruosa” foi o termo usado por alguns ciclistas para descrever a estrutura do evento que aconteceu em Ubá, reunindo mais de 1000 ciclistas, nos dias 3 e 4 de setembro.

Bicicletas e uniformes cheios de cores deram vida às ruas de Ubá.
Foto: José Marcio Moreira Junior.

Centro cultural e de formação técnica, muito conhecida pelas indústrias moveleiras, a cidade de Ubá é uma das que mais crescem na Zona da Mata. Nesse mesmo vetor, o ciclismo que também cresceu e hoje ocupa o segundo lugar em esportes no Brasil, atingiu o ápice em números no evento que revelou as belezas locais a mais de 1000 ciclistas.
Na década de 1980, Ubá foi considerada a cidade das bicicletas. Por ser polo moveleiro, a população usava a bicicleta como meio de transporte. Na década de 1990 começaram a aparecer os primeiros ciclistas voltados para o cicloturismo, usando principalmente as Mountain Bikes, que são as bicicletas para qualquer terreno. Além do histórico com a “magrela”, a cidade tem uma zona rural rica em estradas de terra, trilhas e atrativos como cachoeiras e riachos, tendo todos os elementos para incentivar ciclistas esportistas.
Com um trânsito urbano intenso, uma das apostas de eventos dessa natureza, é impactar na Mobilidade Urbana. A bicicleta é vista nos países e cidades desenvolvidas como o veículo sustentável capaz de salvar as pessoas dos grandes problemas de trânsito e tráfego. Por isso, há 3 anos, alguns ciclistas de Ubá uniram forças para juntar todos os elementos naturais, os ideais de mobilidade e, pra fechar graciosamente a conta, envolver uma instituição de apoio social para promover um evento 100% beneficente, já na sua 2ª edição.

Uma extensa fila de ciclistas foi vista por diversas estradas de terra.
Foto: José Marcio Moreira Junior.

Ação Social
A ação social do evento foi a doação da renda para a APAE da cidade, que resultou no valor de R$37.000,00. De acordo com a organização, é o segundo ano que a renda é destinada à APAE. Outra instituição beneficiada foi o Patronato São José, que recebeu a quantia de R$4.200,00 resultante da cobrança do estacionamento e ainda recebeu mais de 500kg de alimentos não perecíveis, mostrando a capacidade de mobilização dos ciclistas para as ações beneficentes.
"Sempre gostei de Minas Gerais mas dessa vez o que me motivou a ir foi justamente o cunho social do evento", disse o ciclista Rodrigo Padilha, da cidade do Rio de Janeiro.

O evento
A estrutura de arena foi montada no Pavilhão do Horto Florestal onde foi concentrada a maior parte das atividades. No dia 3, os ciclistas visitaram estandes e as crianças se divertiram com Girinho de Ubá, onde 70 pequeninos pedalaram por aproximadamente 2km. Para os adultos a diversão ficou por conta das atrações musicais e do Desafio de Cross Country Olímpico, numa pista de 4,5km que existe há 8 anos, onde somente ciclistas experientes puderam participar.
No dia 4, após o café da manhã, os mais de 1000 ciclistas partiram pelas estradas de terra, subindo a serra para Ubari, descendo pela serra do Visual, retornando pela estrada de Miragaia, distritos de Ubá. Os participantes do desafio Rei e Rainha da Montanha tiveram uma surpresa: uma trilha de alta exigência técnica e esforço físico, a Trilha da Santinha de Ubari.
De volta à arena, os ciclistas foram recebidos com almoço e mais atividades festivas. Pelo recinto do evento passaram mais de 3500 pessoas que curtiram som ao vivo das bandas convidadas, como Balaio, John Clay, Soute, Bráulio Hilário e Combate. As bandas doaram todo o cache em prol da APAE

Rodrigo Rosseti curtiu as descidas e passagens por água do trajeto.
Foto: José Marcio Moreira Junior.

De acordo com o ciclista Rodrigo Rosseti, de Guarani, destacou que “o diferencial foi o grande número de ciclistas andando juntos, num trajeto super legal, com visual surpreendente do topo da serra, com um pouco de subidas pesadas e boas descidas onde a bike rendia bem”.


O ciclista Walmir Rodrigues finalizando a subida da serra.
Foto: Jonathan Marques Abrantes

Walmir Rodrigues, também de Guarani, disse que “os organizadores estão de parabéns pela belíssima e organizada estrutura que foi montada”. Walmir levou seu filho Gustavo, de 11 anos, que fez todo o percurso Elite, que disse: “pai, vamos no trajeto bruto!". Gustavo cumpriu os 47km de pedalada em 3h e 47min, como se fosse gente grande.


O pequeno e destemido Gustavo em ação durante na travessia de água.
Foto: José Marcio Moreira Junior.

A organização destacou em rede social a presença de ciclistas que se deslocaram dos estados de Rio de Janeiro, Espírito Santo e São Paulo, para prestigiar o evento em Ubá.

Apoio
O Giro de Ubá teve patrocínio máster da Kaiser Raidler e patrocínio ouro da Diver Bike, Tereza Bike, Pedaltec, Facilita Telecom, Orthocrin, Unimed, Rádio Educadora, Fagoc e Eject.

____________________
Texto: Eduardo Almeida
Fotos: Ultra Fotos

Nenhum comentário:

Postar um comentário