terça-feira, 29 de novembro de 2016

Comemoração com estilo e uma boa pedalada

Ciclistas de Muriaé e região se juntaram em pedalada organizada para comemorar aniversário de loja do segmento ciclístico.

 As ruas de Muriaé se encheram de cores em movimento durante a passagem de quase 250 ciclistas que se dirigiam para estradas de terra da região.

Comemorando 3 anos de sucesso, ofertando aos clientes-ciclistas o que há de melhor no ramo das bicicletas esportivas, a Tripp Aventura de Muriaé organizou um "pedalaço" pelas ruas e estradas da cidade, promovendo integração total entre seus clientes, amigos e convidados.
A loja localizada na Av Cel Monteiro de Castro, nº 75,  Barra, conta com um espaço onde são expostos produtos de alta linha das marcas Specialized, Audax, Caloi; equipamentos de proteção, vestuário, peças de reposição e tantos outros itens necessários ou opcionais para os ciclistas da cidade e região.
Aproximadamente 250 ciclistas se juntaram à comemoração, partindo do Restaurante Deck, no centro, saindo às 7h da manhã desse sábado dia 26, percorrendo 50km de estradas, sendo a maioria de terra, com belas paisagens para apreciação dos ciclistas do Mountain Bike. O último participante chegou às 12:30, quando começou o sorteio de 70 brindes da loja.
Junior Monteiro, diretor da Tripp Aventura Muriaé, organizador da pedalada de comemoração ressaltou que "todos os ciclistas participaram com segurança e apoio, e em todos os momentos o que ditou o ritmo foi o espírito de amizade e confraternização" e, também, nos faz um convite: "venham pedalar conosco e mantenham a sua qualidade de vida em primeiro lugar".

Além do primoroso apoio da própria Tripp Aventura, a pedalada também foi apoiada por: Center Fit, Crispeças, Pousada Paraíso, Deck, Off Cel, Supermercado Armação, 360 Desing gráfico, Nutri Vet, Supermercado Pioneiro, Vemasa e L'aqua.


Bikers pedalavam e conversavam durante o trajeto, apreciando as belezas da zona rural.


Familiares e amigos se juntaram à comemoração pós-pedal.

____
Texto: Eduardo Almeida
Fotos: Ozeas Vital Ramos

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Gincana com passeio ciclístico foi motivo de alegria das crianças de Belisário



Passeio de bicicleta e brincadeiras agitaram as crianças de Belisário, em ação inovadora, proposta por associação local.

A associação do Grupo de Artesãos de Belisário - GAB - promoveu a primeira gincana, que se extendeu por alguns dias e etapas, promovendo disputa, entretenimento e socialização dos alunos da Escola Estadual Pedro Vicente de Freitas.  
Belisário é distrito de Muriaé, está a 650 m de altitude, aos pés do complexo das serras do Parque Estadual do Brigadeiro, onde o clima, alimentação típica mineira e os atrativos naturais têm sido os elementos de referência para quem busca a tranquilidade dos campos mineiros.
Dentro da programação da gincana, foi inserido no dia 19 de novembro, o passeio ciclístico no qual 50 crianças marcaram presença, além dos professores, convidados e organizadores.

 As crianças formaram uma longa fila na paisagem bucólica do distrito, com a serra do Brigadeiro ao fundo.

A pedalada teve início em frente a escola.  Houve uma pausa no GAB, local onde os alunos tiveram uma breve palestra sobre o uso da bicicleta como veículo urbano e também como equipamento de esporte, depois seguiu por estradas de chão até a Fazenda Beleti.
Eduardo Almeida, diretor da Fecierj - Federação de Ciclismo do Estado do Rio de Janeiro -  palestrante, ressalta que "é muito importante falar às crianças que bicicleta é um veículo e tem que respeitar regras de trânsito, principalmente nas áreas urbanizadas, como são os distritos e aglomerados urbanos, como forma de prepará-las para para o trânsito das grandes cidades". O mesmo finalizou o discurso abordando sobre os benefícios da bicicleta para a saúde de quem a adota como esporte.

Ao chegar na fazenda, as crianças foram recepcionadas com lanche e brincadeiras que contavam pontos para a gincana. Duas equipes foram definidas e nomeadas como Lobo Guará e a outra como Itajuru, disputaram o Jogo da Velha Humano, Corrida com o limão na colher e  também a grande atração que foi a Contra-Corrida. Esta última consiste na disputa de 1 representante de cada equipe, alinhados, com suas bicicletas, onde ganha o último a cruzar a linha de chegada, sem colocar os pés no chão, sendo uma excelente atividade de equilíbrio. Foram disputadas 5 rodadas da Contra-Corrida. A gincana foi finalizada com o Gira-Bike, onde 1 par de cada equipe girava a bike com uma das rodas encostada ao chão, sendo vencedora a equipe que tocasse mais rápido na linha de chegada.

 No Jogo da Velha Humano, 2 estrategistas escolhiam as pessoas que ocupavam as argolas.

 O trajeto de ida e volta até a igreja de Belisário totalizou 6,5km e nem mesmo as subidas mais fortes foram capazes de segurar ou cansar as crianças.
A pedalada contou com a apoio de 3 carros e 1 moto, professores e socorrista.
A organização do evento manifestou o resultado positivo da ação em nota de agradecimento, transmitida pelos representantes de cada equipe da gincana.


____
Texto: Leo Lima
Fotos: Cleber Paradela

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Na terra da bauxita, ciclistas pedalam em circuito com muitas trilhas e clima europeu

São Sebastião da Vargem Alegre recebeu mais de 100 ciclistas em evento que ofertou um trajeto elogiado e uma agradável recepção.





A cidade de São Sebastião da Vargem Alegre está localizada na parte sul do complexo da Serra do Brigadeiro, a 720 m de altitude, sua principal atividade econômica era ligada ao café e leite. Com a chegada da mineração da bauxita, a força de trabalho se adequou à realidade e à necessidade da nova atividade que passou a impulsionar a economia local.
Nesse complexo de alterações de atividades, onde vemos campos com matas preservadas, as fazendas de lavra de minério intercaladas, bem como áreas já restauradas pelas atividades de recuperação pós-mineração, no dia 6 de novembro, domingo, aconteceu pela segunda vez o passeio ciclístico da cidade. O trajeto escolhido pela organização explorou fielmente essas nuances que marcam a história do município, do desbravamento ao cenário atual.
Após o sinal de largada, os mais de 100 ciclistas percorreram as principais ruas da cidade e em apenas 2 km percorridos já adentraram na primeira trilha, subindo por uma mata recomposta e descendo por um cafezal. No decorrer da pedalada, os ciclistas passaram por estradas de chão em direção à localidade de Santo Antônio do Rio Preto, passando por algumas cachoeiras e também por estradinhas dessas de acesso às fazendas onde só trafega um veículo por vez.

Ciclistas adentram em trilhas já no fim de uma rua, em mata ao lado da cidade.

O cenário alterava o contexto de acordo com a localidade, passando por diversos pontos próximos de áreas de lavra de minério, outras vezes entrava em trilhas de eucaliptos ou de mata recomposta. “Estou impressionado com o trajeto, muito bom mesmo! Pra quem curte o mountain bike de verdade ficou perfeito”, comentou o ciclista João Amaral, de Muriaé.
Para agradar ainda mais os ciclistas que participaram do evento, a chuva fina do dia anterior apagou por completo a poeira e ainda deixou o terreno mais firme, aumentando a aderência.
O clima foi outro fator muito lembrado pelos participantes que aproveitaram os 15º de temperatura para iniciar a pedalada e terminaram com pouco mais de 26º. As terras altas com as temperaturas mais brandas são as mais procuradas pelos ciclistas que curtem o mountain bike. Como o próprio nome diz, são os ciclistas de montanhas.

Estradinhas que mais pareciam trilhas mantinham a característica básica do esporte bem destacada.

A trilha sonora da pedalada, meio a terrenos acidentados típicos da região, ficou por conta das seriemas, dos “quero-queros”, das diversas aves e sons de cachoeiras, ritmando os ciclistas até o fim do desafio de 50 km do trajeto Elite.
Na chegada, os ciclistas foram recebidos com sorteio de brindes e um farto almoço para recompor as energias. As crianças brincaram com pula-pula enquanto os visitantes conferiam as novidades do esporte nas 3 lojas que montaram estande no local.
O evento contou com o apoio da Prefeitura, da Polícia Militar, da Secretaria de Saúde, da Helios, Pedallar,  Lacerda Bike Shop, SPJ Móveis Planejados, Emerson Cafés Especiais, de diversos comerciantes locais e regionais. A organização foi do grupo Caça Pedal, composto por ciclistas da cidade.


Ciclistas passaram próximo de áreas de lavra de bauxita.


Ao fundo é possível ver a unidade de mineração enquanto participante desce pelas estradas de terra.

__
Texto e fotos: Eduardo Almeida

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Evento ciclístico realizado em Ubá está entre os maiores do Brasil

“Monstruosa” foi o termo usado por alguns ciclistas para descrever a estrutura do evento que aconteceu em Ubá, reunindo mais de 1000 ciclistas, nos dias 3 e 4 de setembro.

Bicicletas e uniformes cheios de cores deram vida às ruas de Ubá.
Foto: José Marcio Moreira Junior.

Centro cultural e de formação técnica, muito conhecida pelas indústrias moveleiras, a cidade de Ubá é uma das que mais crescem na Zona da Mata. Nesse mesmo vetor, o ciclismo que também cresceu e hoje ocupa o segundo lugar em esportes no Brasil, atingiu o ápice em números no evento que revelou as belezas locais a mais de 1000 ciclistas.
Na década de 1980, Ubá foi considerada a cidade das bicicletas. Por ser polo moveleiro, a população usava a bicicleta como meio de transporte. Na década de 1990 começaram a aparecer os primeiros ciclistas voltados para o cicloturismo, usando principalmente as Mountain Bikes, que são as bicicletas para qualquer terreno. Além do histórico com a “magrela”, a cidade tem uma zona rural rica em estradas de terra, trilhas e atrativos como cachoeiras e riachos, tendo todos os elementos para incentivar ciclistas esportistas.
Com um trânsito urbano intenso, uma das apostas de eventos dessa natureza, é impactar na Mobilidade Urbana. A bicicleta é vista nos países e cidades desenvolvidas como o veículo sustentável capaz de salvar as pessoas dos grandes problemas de trânsito e tráfego. Por isso, há 3 anos, alguns ciclistas de Ubá uniram forças para juntar todos os elementos naturais, os ideais de mobilidade e, pra fechar graciosamente a conta, envolver uma instituição de apoio social para promover um evento 100% beneficente, já na sua 2ª edição.

Uma extensa fila de ciclistas foi vista por diversas estradas de terra.
Foto: José Marcio Moreira Junior.

Ação Social
A ação social do evento foi a doação da renda para a APAE da cidade, que resultou no valor de R$37.000,00. De acordo com a organização, é o segundo ano que a renda é destinada à APAE. Outra instituição beneficiada foi o Patronato São José, que recebeu a quantia de R$4.200,00 resultante da cobrança do estacionamento e ainda recebeu mais de 500kg de alimentos não perecíveis, mostrando a capacidade de mobilização dos ciclistas para as ações beneficentes.
"Sempre gostei de Minas Gerais mas dessa vez o que me motivou a ir foi justamente o cunho social do evento", disse o ciclista Rodrigo Padilha, da cidade do Rio de Janeiro.

O evento
A estrutura de arena foi montada no Pavilhão do Horto Florestal onde foi concentrada a maior parte das atividades. No dia 3, os ciclistas visitaram estandes e as crianças se divertiram com Girinho de Ubá, onde 70 pequeninos pedalaram por aproximadamente 2km. Para os adultos a diversão ficou por conta das atrações musicais e do Desafio de Cross Country Olímpico, numa pista de 4,5km que existe há 8 anos, onde somente ciclistas experientes puderam participar.
No dia 4, após o café da manhã, os mais de 1000 ciclistas partiram pelas estradas de terra, subindo a serra para Ubari, descendo pela serra do Visual, retornando pela estrada de Miragaia, distritos de Ubá. Os participantes do desafio Rei e Rainha da Montanha tiveram uma surpresa: uma trilha de alta exigência técnica e esforço físico, a Trilha da Santinha de Ubari.
De volta à arena, os ciclistas foram recebidos com almoço e mais atividades festivas. Pelo recinto do evento passaram mais de 3500 pessoas que curtiram som ao vivo das bandas convidadas, como Balaio, John Clay, Soute, Bráulio Hilário e Combate. As bandas doaram todo o cache em prol da APAE

Rodrigo Rosseti curtiu as descidas e passagens por água do trajeto.
Foto: José Marcio Moreira Junior.

De acordo com o ciclista Rodrigo Rosseti, de Guarani, destacou que “o diferencial foi o grande número de ciclistas andando juntos, num trajeto super legal, com visual surpreendente do topo da serra, com um pouco de subidas pesadas e boas descidas onde a bike rendia bem”.


O ciclista Walmir Rodrigues finalizando a subida da serra.
Foto: Jonathan Marques Abrantes

Walmir Rodrigues, também de Guarani, disse que “os organizadores estão de parabéns pela belíssima e organizada estrutura que foi montada”. Walmir levou seu filho Gustavo, de 11 anos, que fez todo o percurso Elite, que disse: “pai, vamos no trajeto bruto!". Gustavo cumpriu os 47km de pedalada em 3h e 47min, como se fosse gente grande.


O pequeno e destemido Gustavo em ação durante na travessia de água.
Foto: José Marcio Moreira Junior.

A organização destacou em rede social a presença de ciclistas que se deslocaram dos estados de Rio de Janeiro, Espírito Santo e São Paulo, para prestigiar o evento em Ubá.

Apoio
O Giro de Ubá teve patrocínio máster da Kaiser Raidler e patrocínio ouro da Diver Bike, Tereza Bike, Pedaltec, Facilita Telecom, Orthocrin, Unimed, Rádio Educadora, Fagoc e Eject.

____________________
Texto: Eduardo Almeida
Fotos: Ultra Fotos

Ciclistas realizaram uma volta no entorno do Parque Estadual da Serra do Brigadeiro para cumprir desafio pessoal

Durante o percurso de mais de 200 km, os ciclistas acumularam subidas equivalentes a 2 vezes a altura do Pico da Bandeira, do mar ao topo. Desafio foi concluído em 21 horas.

Estradas começam a virar trilhas e se tornam atrativas para o esporte do Moutain Bike.

O Parque Estadual da Serra do Brigadeiro é uma unidade de conservação situada na Zona da Mata Mineira que abrange áreas de 08 municípios, dentre eles, Fervedouro no qual  fica a sede e, também, Muriaé que é um dos polos regionais. O Brigadeiro guarda uma grande variedade de espécies arbóreas e é conhecido por ser o habitat dos macacos Muriquis.
Existem estradas de terra que circundam o perímetro do Brigadeiro, nas quais, em alguns trechos, chegam a ser identificadas como trilhas, com passagens em riachos e plataformas de pedras. Em muitas partes, as estradas passam em áreas de amortecimento da preservação ambiental. Além disso, possuem algumas subidas íngremes e terreno de pequenas pedras soltas. Em outras partes, as estradas são de chão batido, motoniveladas, porém pouco planas em toda sua extensão.
Com esses ingredientes, os ciclistas que estavam participando do “Desafio dos 200”, encontraram o terreno perfeito para desafiarem seus limites físicos e psicológicos, em contato com a natureza local, passando por pequenas comunidades rurais.
O Desafio dos 200 é uma prova de uma modalidade chamada Desafio Individual por Traçado na qual  o atleta deve percorrer no mínimo 200km, com o máximo de 20% de vias asfaltadas, buscando áreas de grande variação altimétrica para que possa classificar. A façanha é gravada em um aplicativo chamado Strava no qual um moderador analisa o arquivo gerado, validando ou não o desafio. Moda na Europa, a modalidade embarcou no Brasil e foi sucesso em 2015.

Em algumas partes, as subidas eram tão íngremes que os ciclistas tinham que empurrar as bicicletas morro acima.

O projeto de Cicloturismo da ABRIGA – Associação dos Municípios do Circuito da Serra do Brigadeiro:
“Eles tinham um projeto de executar um desafio, enquanto, por outro lado, nós da ABRIGA, estamos em fase de implantação do projeto Rota Parque Brigadeiro que produzirá forte impacto para o turismo em nossa região. O Cicloturismo é uma das modalidades que serão contempladas pelo projeto da ABRIGA, além de caminhada, jeep tour e cavalgada. O grupo de ciclistas realizou a volta do brigadeiro, testando caminhos, coletando dados importantes para o planejamento da rota que envolve o cicloturismo. Distâncias, altimetrias e velocidades por trechos são dados que vão nortear os ciclistas que, futuramente, virão realizar a Volta do Brigadeiro”, anunciou Marco Antônio, gestor da ABRIGA.
Os ciclistas já faziam parte dos planos da ABRIGA com a finalidade de desenvolver o projeto de cicloturismo na região.

Os ciclistas passaram por diversas comunidades rurais durante o desafio, como o povoado de Santana.

Desafios do caminho:
“Apesar da dificuldade natural do esporte, do frio da madrugada, das subidas intermináveis, da fome e da sede, a paz que sentimos na região do Parque do Brigadeiro foi tremenda. Encontramos poucos veículos passando pelas estradas. Sons de água, de pássaros e o encontro de  pessoas solícitas são as recordações que superaram as dores musculares. Nem mesmo pneu furado tivemos nesse dia”, relatou Eduardo Almeida, um dos participantes.
 “Tenho uma história de nascimento nos pés das montanhas do Brigadeiro. Concluir esse desafio e fazer parte desse projeto de criar um roteiro de cicloturismo é muito gratificante. Não vejo a hora de retornar e refazer os trechos em 3 dias pedalando por trilhas adicionais, visitando cachoeiras e curtindo o contato com as comunidades locais”, comentou Sérgio Barata, outro participante.  Já para o atleta amador Victor Santos, “é um trajeto desafiador até mesmo para quem está acostumado com provas duras de Mountain Bike. Caí nos primeiros quilômetros do percurso e completar foi uma superação. Espero ansioso pelo dia de realizar o trajeto podendo encontrar no final de cada dia com a minha esposa, que certamente estará no comboio do cicloturismo, curtindo outras atividades”.
De acordo com as informações apuradas, foram os primeiros 3 ciclistas a realizar o feito de dar uma volta completa ao redor do Parque do Brigadeiro, totalizando 21 horas de contato com a bicicleta. Os ciclistas saíram às 4h da manhã de Belisário, no sábado dia 23 de julho, passando por Pedra Bonita, Araponga e Rosário das Limeira, retornando ao mesmo ponto à 1h da manhã de domingo, dia 24. Não tiveram nenhum carro de apoio disponível, levando em suas mochilas reparos de câmaras de ar, ferramentas, alimentos e suplementos. O Desafio dos 200 será finalizado no dia 31 de agosto e os resultados divulgados em setembro. Os participantes são de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo e São Paulo, totalizando 314 inscritos.
O projeto Rota Parque Brigadeiro que visa realizar a volta do Brigadeiro continua sendo desenvolvido pela ABRIGA  junto ao grupo de apoio e a previsão é que seja lançado ainda este ano, em um evento teste, onde será gravado um documentário, explorando diversas atividades complementares, como passeio em 4x4, café e almoço em fazenda e visita guiada em cachoeiras da região.
Mais informações sobre os roteiros de ecoturismo e cicloturismo podem ser acompanhadas pelo site/blog da instituição: http://ctserradobrigadeiro.blogspot.com.br/

Os 3 ciclistas pedalaram os 203km em 21h com 3 paradas para alimentação e outras pequenas paradas para hidratação.



____________________
Texto: Leo Lima
Fotos: Eduardo Almeida

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Eugenópolis recebeu mais de 300 ciclistas com atendimento diferenciado nas zonas de apoio

Ciclistas encheram a cidade com cores movimento durante a largada.

O grupo Bravus Bike promoveu seu primeiro encontro de Mountain Bike na cidade de Eugenópolis,no dia 28 de agosto, onde mais de 300 ciclistas se aventuraram em 2 circuitos diferentes, sendo um de 40km com mais dificuldade técnica e outro de 30km mais fácil, passando por estradas e trilhas da cidade.
O padrão de qualidade foi visto nos detalhes com a comunicação visual feita, remetendo aos bravos guerreiros da idade média, simbolizando os desafios que os guerreiros do mountain bike passam pelos caminhos e trilhas onde se aventuram.
Com apoio médico e carros de apoio, os ciclistas passaram por uma cachoeira, onde em uma delas tiveram uma grande surpresa: um churrasco à beira d’água. Esse foi o grande diferencial desse evento, onde a opinião unânime dos participantes foi de aprovação da ideia. Para aqueles que têm gosto por uma hidratação diferenciada, nesse mesmo ponto de apoio foi servido um copo de cerveja para aqueles que quiseram. A cerveja já teve comprovação científica da qualidade da reposição calórica e demais nutrientes necessários em atividades físicas, quando consumida em pequena quantidade.

Casa de bambu no estilo medieval era o ponto de apoio onde tinha churrasco e cerveja, ao lado da cachoeira.

A organização do evento registrou que o entusiasmo dos participantes que acreditaram no projeto e compareceram no primeiro evento foi notória. Quando os atletas chegaram novamente na arena, após curtirem as estradas e trilhas, foram recepcionados com almoço farto e música ao vivo. No local também estava montada uma área para crianças que se divertiram enquanto os pais se aventuravam.
O primeiro Bravus Bike contou com patrocínio máster da Agua Mineral L’Aqua e Lacerda Bike Shop, apoiadores locais, também da Prefeitura de Eugenópolis, Policia Militar e Policia Rodoviária Estadual.


As estradas de terra batida foram ocupadas pelos ciclistas que formaram uma extensa fila.

Fotos: Divulgação
Texto: Eduardo Almeida

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Ciclistas se reuniram em Muriaé para realizar o Desafio dos 200


Pedalando pela madrugada gelada, sol escaldante e noite fria, os ciclistas percorreram diversas localidades para concluir e validar o desafio que está movimentando a região.

Imagina sentar sobre a bicicleta para rodar 200km em uma única atividade, passando por estradas de chão, com o mínimo de paradas. Essa é a proposta do Desafio dos 200 que é uma competição virtual onde um moderador analisa os percursos e os dados gravados por cada participante para validar e aplicar ranking que classificam os atletas em distância percorrida e subidas acumuladas.
Para facilitar a vida dos ciclistas que se dispuseram a enfrentar esse desafio pela primeira vez, Sergio Barata, ciclista de Muriaé, montou um mini evento dentro da disputa, de forma que fosse possível oferecer segurança e suporte aos participantes. “Não é fácil percorrer essa quilometragem toda e muita gente tem medo de enfrentar esse teste. Como são amigos, queremos que cada um consiga concluir e ter esse desafio em seu currículo. Para que tudo ficasse mais tranquilo, organizamos um café da madrugada, que foi servido às 2h, e saímos com carro de apoio às 3h da manhã, com 2 pessoas para nos dar água e comida durante o dia”, disse Barata sobre a organização feita para o desafio.
No percurso que teve ponto de partida em Muriaé, chegando a alcançar o município de Leopoldina, os ciclistas percorreram 220 km passando pelas seguintes localidades: Muriaé, São Fernando, Boa Família, Santana de Cataguases, Laranjal, Aracati, Leopoldina, Abaiba, Recreio, Conceição da Boa Vista, Itapiruçu, Palma, Silveira Carvalho, Barão de Monte Alto, Ivaí, de onde retornaram para Muriaé. O desafio para esses ciclistas foi realizado no dia 20 de agosto.

 Trajeto plano passa por diversas fazendas históricas.

Bike nos Trilhos
De Recreio até Muriaé os ciclistas percorreram o percurso de um projeto chamado “Bike nos Trilhos”, de autoria de Tyerre Coelho, Dyon Junior e Clélio Lima.
É um projeto onde os ciclistas percorrem o antigo leito de trem, já desativado, passando por diversas estações, pontilhões e pontes.
“É um percurso muito bonito, agradável para pedalar, onde o desafio é a distância percorrida, com pouca altimetria acumulada. Em Recreio ainda existe a oficina de vagões, mas de lá para cá já não existem mais os trilhos. Agora são as bikes que estão passando por esses caminhos, seja em pedaladas habituais ou em desafios, continuando a vida do projeto”, relatou Coelho.
Os ciclistas aguardam novo evento dentro do projeto “Bike nos Trilhos”.

Peças da antiga rede ferroviária ainda permanecem conservadas, como esta caixa d`água para as locomotivas.

Estações antigas são o charme do "Bike nos Trilhos".


Vencendo limites
Muitos imaginam que somente com bicicletas de última geração que é possível realizar um desafio desse tamanho. Porém Amélia Demarque, professora e moradora de São Sebastião da Vargem Alegre, ciclista há 1 ano, mostra que é possível chegar a qualquer lugar mesmo com uma mountain bike mais simples. Considerada uma bike acima do peso ideal para uma atividade como o Desafio dos 200, com uma relação de 24 marchas com pouco escalonamento, ela concluiu que representou um marco para si mesma desde que começou a pedalar, onde pode testar e superar seus limites físicos. Não teve como se preparar adequadamente porque estava cuidando da sua filha que tinha se hospitalizado na semana. “Mais importante que equipamento é a motivação. O trabalho em grupo nos leva além do ponto que podemos ir sozinhos. Cada um possui uma experiência que pode contribuir com o outro, principalmente no apoio psicológico”, destacou Amélia e completou: “concluir foi uma vitória gratificante”.


Amélia Demarque passando sobre pontilhão durante o desafio.

Realização
O Desafio dos 200 é uma realização do grupo Guerreiros das Montanhas, onde o moderador Guenael Dornelas avalia todas as atividades que são enviadas pelos inscritos. O desafio termina nesse mês e os resultados serão divulgados em setembro.

Ciclistas reunidos para foto em um dos pontilhões do trajeto.

Mapa do percurso de 200km, idealizado por Sergio Barata para o Desafio dos 200.


Texto e fotos: Eduardo Almeida

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Guiricema faz festa no melhor estilo do Mountain Bike

O sol forte apimentou ainda mais o trajeto que agradou os participantes da segunda edição do evento que mostrou simplicidade e conceito de cicloturismo na medida certa.


As montanhas de Guiricema desafiaram os participantes do Bike Ride, tanto para subir, quanto para descer.

Guiricema é uma cidade da Zona da Mata Mineira com pouco mais de 9 mil habitantes, com vocação comercial voltada à pecuária e agricultura familiar, cercada de montanhas perfeitas para a prática de esportes a céu aberto. Nessas condições de serras, o Mountain Bike (MTB) se encaixa perfeitamente, mostrando que qualquer condição é a ideal para a diversão em duas rodas.
Pela segunda vez, o grupo Pedal Guiricema organiza um evento para o encontro de ciclistas do MTB, produzindo um ambiente familiar no clube Indaiá, regado a café da manhã, almoço, sorteio de brindes e banda ao vivo. Os ciclistas receberam um atendimento diferenciado, contando com todo o suporte para que a única preocupação fosse a diversão.
Uma área de lojistas ajudou a salvar aqueles ciclistas que precisavam de fazer uma compra de emergência. Um espaço exclusivo para as crianças garantiu o sossego dos pais pedalantes. Contando com a estrutura do clube para deixar a criançada brincando, a aventura dos pais se desenrolava pelas lindas trilhas da região.
No momento da confirmação das inscrições, os ciclistas doaram alimentos, que serão destinados ao CRAS, seguindo critérios do grupo, para a distribuição. Da mesma maneira, o lucro do evento será destinado ao apoio de famílias conectadas ao projeto da instituição.
Os participantes foram contemplados com um kit que continha produtos esportivos, como camisa, placa de bike, garrafinha e eletrolítico, mas ganharam, também, uma recordação local como um pequeno pacote de preparado para tapioca.
O evento atraiu ciclistas da região e até mesmo de outro estado, como Rio de Janeiro, de cidades como Rio das Ostras e Macaé. Luís Otávio, ciclista de Macaé, foi contemplado com o troféu de “Maior Distância Percorrida para participar do Evento” e comenta: “fiz questão de viajar 300 km para participar do evento, pois os organizadores, que são pessoas maravilhosas, me cativaram desde o convite. Foi, também, uma oportunidade de estudar a eficácia do lubrificante de transmissão de bikes que fabricaremos aqui em Minas. A estrutura ficou à altura de eventos profissionais, com muitos pontos de apoio, envolvimento da Polícia Militar, ambulâncias que se posicionaram até mesmo em partes de trilhas. O almoço foi maravilhoso e o clube comportou todos os ciclistas com o devido conforto. Foi um dos trajetos de 50 km mais completos que realizei em eventos, dignos de Elite, com subidas de aclividades medianas, e uma única longa. Excelente para um bom treino de domingo. Muito criteriosa a escolha”.

Luis Otávio de Macaé, exibindo seu troféu por ser o ciclista que de mais longe se deslocou para participar do evento.

Trajeto
Foram selecionados percursos de 33 km e de 55 km para nível intermediário e elite, respectivamente.
No percurso menor, os participantes iniciantes, ou até mesmo aqueles que queriam executar o traçado em um tempo menor, encontraram um caminho quase totalmente plano, andando por estradas na baixada da região. De qualquer maneira, não faltou uma pitada de aventura quando o trajeto adentrou em alguns single tracks, que são as conhecidas trilhas de boi.
 Já o percurso elite reservou um desafio de uma subida de 200 m de desnível em apenas 1,7km de trecho, formando uma verdadeira parede que os ciclistas tiveram que enfrentar sob um sol forte. Um apoio com água e frutas posicionado numa área de sombra, no fim da subida,  transformou-se num oásis para os ciclistas.
No percurso maior foram inseridas algumas trilhas passando por descidas técnicas que deram uma adrenalina a mais nos participantes.

Descidas técnicas adrenalizaram os participantes do percurso elite.

A formatação do trajeto permitiu que os ciclistas conhecessem pontos importantes do município, como vistas belíssimas das cadeias de montanha do alto da serra, igrejas históricas como a da própria cidade, da Santa Montanha que era vista mais ao longe, Vilas Boas e de Dom Silvério, tendo pontos de apoio em frente as duas últimas, onde todos se refrescavam com água gelada e alguns fotografavam as igrejas.

Igreja histórica de Vilas Boas, distrito de Guiricema.

“Nossa proposta desde o início era ofertar um circuito onde fosse possível unir aventura e cultura, mostrando um pouco das trilhas que sempre executamos, além dos pontos turísticos da nossa cidade, uma vez que a grande maioria de participantes são pessoas que são de outros municípios”, comentou Wagner Toledo, um dos integrantes do grupo organizador.

Final da subida da serra revelou a cadeia de montanhas aos ciclistas, numa bela paisagem de fundo

Sustentabilidade
Um dos integrantes do grupo Pedal Guiricema, responsável pelo evento, aproveitou o encontro para expor uma novidade: uma Mountain Bike elétrica que é recarregada com o uso de energia solar.
O sistema de painel e controladores é montado numa carretinha que também pode ser conectada à bike e levada pra outro local, conforme a necessidade do ciclista.
A proposta é ter uma e-MTB que incentive pessoas com redução de mobilidade corporal a praticar o ciclismo, motivando e promovendo a integração pelo esporte.  A bike, com o sistema de pedalada assistida por motor elétrico frontal, tem o mesmo comportamento das demais MTB’s.

Energia limpa e gratuita para recarregar uma e-MTB.

Carlos Cavalari, inventor da bike experimental e morador de Guiricema quer chamar a atenção para a sustentabilidade com a geração própria de energia, de forma limpa sem gerar resíduos, sabendo que hoje necessita-se de energia elétrica para se viver e conviver, seja na comunicação, iluminação entre outras demandas. O mesmo ressalta que é importante produzir energia limpa sem poluir o meio ambiente. “A tecnologia fotovoltaica está aí e a fonte de energia é gratuita” conclui o entrevistado.
O ciclismo já tem um forte apelo à conscientização ambiental e esse projeto mostrou a grande capacidade de sustentabilidade e inclusão, sendo realizado em um pequeno município, quebrando tabus de que altas tecnologias são incubadas apenas nos grandes centros urbanos.

Carlos mostra o controlador e enfatiza que a energia pode ter outros usos, como recarregar celular, baterias e até mesmo iluminação, de forma barata.

Produção
O evento Guiricema Bike Ride tem organização através do grupo Pedal Guiricema, contando sempre com patrocinadores e apoiadores locais. Destaque para o apoio da prefeitura, da Polícia Militar que realizou um trabalho de fechamento de vias e do SAMU que montou um posto de atendimento emergencial para suprir qualquer demanda dos visitantes e participantes.
De acordo com a organização, haverá novidades para a edição de 2017 e o contato com o grupo poderá ser feito através do site: http://grupopedalguiricema.com.br/

Área para crianças alegrou os pequenos visitantes do evento. 
__________________________

Texto e fotos: Eduardo Almeida

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Muriaé Bike Fest reuniu mais de 600 ciclistas do Mountain Bike da região

Evento foi um encontro de ciclistas que pedalaram por estradas e trilhas de Muriaé e tiveram uma arena acolhedora e funcional no Parque de Exposições.

Cenários belíssimos em trilhas e estradas de terra foram o ponto alto do evento.

Seguindo a tradição da região de promover encontros de ciclistas, formatando um grande calendário de eventos, a cidade de Muriaé, através de organizadores locais, recebeu ciclistas de diversas cidades da região, que se aventuraram pelas estradas rurais do município.
Uma arena com área para as crianças, música ao vivo, área de lojistas, truck de chopp, serviço de buffet e um farto café da manhã, exclusivo para inscritos e acompanhantes, tornou o evento mais íntimo dos ciclistas, deixando mais à vontade os pais, namorados e maridos pedalantes, enquanto as crianças e aqueles que não pedalaram se mantinham ocupados com outras atividades.
Foram cerca de 600 ciclistas computados e aproximadamente 400 acompanhantes que marcaram presença na primeira edição do evento.

Estradas com boa rolagem possuíam subidas intercaladas, dando uma boa cadência aos grupos de ciclistas.

Após a largada, o trajeto seguiu margeando o Rio Glória, adentrando por algumas fazendas, por estradas de chão e até mesmo por algumas trilhas de boi, conhecidas pelos ciclistas como “single tracks”. Em alguns trechos, os ciclistas subiram morros onde podiam contemplar o famoso “mar de Minas”, que são as cadeias de montanhas que se formam na altitude. O percurso contou com trechos de descida técnica, onde puderam experimentar uma dose extra de adrenalina.

Trechos técnicos garantiram adrenalina na dose certa para os ciclistas.

De acordo com Samuel Gouveia, ciclista que veio de Juiz de Fora para prestigiar o evento, “achei a estrutura bem dimensionada para o número de pessoas que compareceu, havia água à vontade na arena e um café da manhã na medida. A área estava bem distribuída, com lojistas pra ajudar numa compra emergencial, por exemplo. Ter o evento organizado e o trajeto definido por um ‘mountain-biker’ fez a diferença no objetivo de agradar com um percurso que consegue ser fácil e desafiador ao mesmo tempo, bonito e técnico”.
O evento Muriaé Bike Fest marcou uma nova etapa do Mountain Bike da cidade, contando com o apoio e patrocínio da iniciativa privada local. Os patrocinadores principais foram Cristiane Turetta Moda Esportiva, Grupo Lider, Lacerda Bike Shop e Lacqua. A organização anunciou que em 2017 estará com novidades para a segunda edição do evento. Mais informações no site HTTP://www.muriaebikefest.com.br

Espaço para as crianças e serviço de buffet atenderam à demanda e a expectativa,

Banda ao vivo de excelente qualidade segurou os participantes por horas após o encerramento da pedalada,

__________________________
Mais fotos no álbum do Facebook. Para acessar, CLIQUE AQUI.
Texto e fotos: Eduardo Almeida

quarta-feira, 6 de julho de 2016

Prado Bike promete agitar a região e promove diversas ações

As mulheres de diversos grupos de ciclismo da região participaram em peso do Prado Bike 2015 e estarão de volta na edição 2016- Foto: Ozeas Vital

A pequena cidade de Antônio Prado de Minas, de aproximadamente 1700 habitantes, está mostrando uma grande força na organização do evento Prado Bike edição 2016.
O encontro de ciclistas que vão se aventurar por estradas de chão e trilhas, usando as suas bicicletas tipo mountain bikes, nesse domingo, já soma mais de 450 ciclistas e de acordo com a organização vai ultrapassar a meta de 500 participantes. Hotelaria da cidade e região já apresentam números mostrando que até as cidades vizinhas foram impactadas, com 100% de lotação.
A organização que é feita pelo grupo de ciclistas da cidade, de mesmo nome do evento, preparou um circuito desafiador para adrenalizar os amantes das bikes. E além disso está promovendo ações paralelas ao evento que estão sendo diferenciais importantes.
Uma estrutura de eventos está sendo montada para receber os ciclistas onde haverá área para as crianças com diversos brinquedos, área de lojistas e um palco que receberá 2 atrações. O primeiro show inicia às 13h com a Banda da Segunda com o estilo Pop Rock e às 16h show com a banda Rastaclone com o puro Rock.
Além de hidratação ao longo do trajeto os ciclistas serão recebidos com um café da manhã antes da largada e almoço após a chegada.
Outra ação do evento é o convite ao atleta profissional Marconi Ribeiro, de Brasília, detentor de diversos títulos, dentre os mais importantes  o vice campeonato mundial e de campeão panamericano na categoria Sub 40. Ele virá com alunos do seu projeto para pedalar com os ciclistas da região.


Na edição 2015 nem o mal tempo segurou os ciclistas nas estradas e trilhas da cidade. Foto: Ozeas Vital

Ação de Ciclomobilidade e Educação para o Trânsito
Uma ação antecipada que chamou a atenção da comunidade e até de governantes, foi uma parceria do evento com a Secretaria de Educação para a promoção de palestras nas escolas, sobre "Ciclomobilidade: a importância da Bicicleta na Mobilidade Urbana", preparando as crianças e jovens para as novas visões do uso da bicicleta nas cidades; também o conteúdo "Educação para o Trânsito: a gentileza que salva", onde mostra aos jovens que estão prestes a tirar a habilitação a importância de seguir as leis de trânsito para dirigir carros, motos, bicicletas e até mesmo como se portar como pedestres conscientes. 


Jovens durante a palestra sobre Educação para o Trânsito. Foto: Artur Costa

Os conteúdos foram ministrados por Eduardo Almeida que tem o título de Professor Sobre Rodas, é diretor da Federação Carioca de Ciclismo e também é Diretor de Mobilidade Urbana de Rio das Ostras - RJ, além de ser ciclista do mountain bike. "É uma ação que tem um efeito duradouro. As cidades, mesmo as pequenas, devem preparar suas crianças até os jovens para o mundo, para qualquer cidade, mostrando pra eles que a bicicleta não é vista mais como um brinquedo, mas sim como um veículo que é muito importante para a mobilidade urbana sustentável. Eventos que promovem ações como essa, que além de impactar no esporte, produzem uma mudança de consciência, merecem nosso respeito e apoio", disse Eduardo.


Maria Luisa, ciclista de 10 anos, pedala até 40km e ja se mostra uma ciclista consciente e foi exemplo nas palestras. Foto: Artur Costa

A Secretária Municipal de Educação, Marcia Cristina Franzini de Barros complementa que "neste momento em que a população pradense está voltada para esse evento, foi muito oportuno a parceria dos organizadores com a secretaria de educação. A palestra elucidou a questão da educação no trânsito, visto que muitos ainda não sabem quais são os direitos e deveres do ciclista, que devemos ensinar nossas crianças e adolescentes para que se tornem adultos conscientes, para que possam assim aproveitar melhor esse esporte tão saudável e muito prazeroso.

Realização
O Prado Bike terá início de suas atividades às 7h da manhã de domingo, dia 10 de julho, no Parque de Exposições, com saída dos ciclistas às 8h.
Recebe apoio da Lacerda Bike Shop, L'Aqua, Prefeitura de Antônio Prado de Minas e também do Governo de Minas Gerais.
A realização é do Grupo Prado Bike com produção da Dimensão.

____
Texto: Leo Lima